Jovens de Passarinho participam de formação feminista e profissionalizante

Jovens de Passarinho participam de formação feminista e profissionalizante

A formação faz parte do projeto Ocupe Passarinho, desenvolvido pela Casa da Mulher do Nordeste com apoio da Fundação Interamericana

Qualificar as jovens de Passarinho, possibilitando a autonomia, geração de renda e a inserção delas no mercado de trabalho é uma das metas do projeto Ocupe Passarinho, desenvolvido pela Casa da Mulher do Nordeste, com apoio da Fundação Interamericana. Com o crescimento e valorização das juventudes ao culto à estética corporal, as jovens tiveram a oportunidade de serem capacitadas por profissionais na área do “Design de Sobrancelhas”, e também refletirem sobre suas identidades de jovens negras da periferia do Recife. Só este ano o projeto contemplou 25 jovens, com idades entre 14 e 19 anos, todas da comunidade Passarinho, Zona Norte do Recife. As jovens tiveram quatro encontros com discussões sobre Identidades de gêneros e Ancestralidade, Feminismo negro, Segurança digital feminista, Economia feminista e Sociologia descolonizando o poder: movimento social ocupe Passarinho.
Em seguida, deram início ao curso profissionalizante. Um curso intensivo que repassou métodos e técnicas de Design de Sobrancelhas, com carga horária de 15 horas, em parceria com o Studio Paty Góes Make-up. “A CMN vem nos últimos anos focando no desenvolvimento da juventude, que fortaleça a sua autoestima e militância. A formação pontua temas da atualidade, da diversidade no que se refere às desigualdades vivenciadas pelas jovens, destacando a conexão com a vida. O que se soma com os cursos profissionalizantes. Resolvemos apostar no segmento da estética, onde as questões raciais têm se apresentado de forma positiva, e que vêm crescendo muito. O que possibilita a geração de renda imediata, seja através de atendimentos em domicílio, na própria casa da profissional ou em salões de beleza”, disse Itanacy de Oliveira, coordenadora do Programa Mulher, Trabalho e Vida Urbana da CMN.
Para a jovem Agda Milena Santos, 19 anos, diversificou seu aprendizagem sobre estética. “A gente aprendeu a fazer design de sobrancelha com várias técnicas, de rena, de depilação egípcia. Essa oportunidade que tive vou levar pra fora e pretendo trabalhar nessa área”, contou. Já Nandinho Alves, de 19 anos, que possui experiência na estética com cabelo, o curso agregou mais conhecimentos. “Queria aprofundar para todas as áreas de salão, como design de sobrancelha e maquiagem. Essa foi uma ótima oportunidade que a CMN nos ofereceu. Vou trabalhar na área com certeza”, disse.
“Gostei bastante dessa oportunidade que a CMN deu pra gente. Gostei demais dos dois cursos. Primeiro aprender que somos negras e mulheres fortes foi maravilhoso. Já o de Design, eu já tinha algumas técnicas de fazer sobrancelha com a pinça, mas agora estou melhor. E tomara que eu consiga focar nisso. É isso que quero para minha vida”, pontuou Natália Francisca, 18 anos.
Na semana seguinte, as jovens colocaram em prática o que aprenderam no curso doando seu trabalho na própria comunidade, durante o Ocupe Passarinho, no último dia 07 de dezembro. As mulheres da comunidade aprovaram a iniciativa

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.